Milhas e milhas.

Minha vida sempre foi a minha vaga memória das minhas viagens. Mesmo nas épocas em que não viajei – por motivos diversos -, fiz planos e mais planos, contei com pessoas e “estive” em lugares inimagináveis. Sempre tive uma tara louca por conhecer diferentes mundos, culturas, pessoas e a natureza rica de cada pedaço de terra ou de mar. As coisas fora do nosso cotidiano são tão lindas que inspiram sentimentos inexplicáveis pra mim. Cada cheiro, cada sabor, cada cor que a gente vê tem um significado único. Pobres os que viajam, viajam e não percebem a beleza e a oportunidade daquilo que vivem.

Eu tenho na minha cabeça uma viagem perfeita para fazer com cada pessoa que amo. E não se trata de criar expectativas ou coisas assim. Trata-se exclusivamente de conhecer aquele lugar junto. Trata-se de dividir uma experiência sagrada de conhecimento e criar um laço ainda maior que permanecerá imortal na sua história de vida. Esse é meu tesão. Ir o mais longe que puder pra depois voltar, pois não adianta realizar seus maiores projetos, proezas se, algum dia, você não voltar pra porta de casa. Ou, na melhor das hipóteses, tornar esse lugar a sua casa.

E eu quero isso mais e mais a cada dia que passa. Quero lugares novos, conhecidos com intensidade e maestria. Quero sobrepujar o turismo, invadir o desconhecido, despertar o medo e administrar todos os meus desesperos.

Nossa vida é muito curta pra gente ficar repetindo os mesmos caminhos. Essa ânsia que me domina é basicamente incontrolável. Os olhos de quem viaja mudam e com eles mudam também a sensibilidade. Você começa a se conhecer melhor, começa a apreciar coisas diferentes e cria parâmetros para dar valor a coisas pequenas e insignificantes até então.

Abrir os olhos numa manhã em outro lugar que não a sua casa tem benefícios incríveis à alma. E, se você puder escolher a pessoa que estará ao seu lado nesse dia, saiba que esse será um dos momentos em que você esteve mais próximo da felicidade plena.

Não esqueça das suas viagens. Não esqueça dos seus momentos. Não esqueça que as marcas deixadas na gente só importam se a gente se importar com elas, seja pro lado bom ou ruim.

Hoje, aqui nesse quarto escuro, solitário e cheio de vinho, eu sonho com a próxima viagem. Sonho com a próxima vez que abrirei os olhos e terei a certeza de que as coisas não são – e nunca serão – em vão.

Whatever you are

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Introspecção

4 Respostas para “Milhas e milhas.

  1. Anonymous

    Que coisa linda isso. Queria alguém que quisesse isso comigo. Moça inveja horrores essa sortuda. E como diz Fernando Pessoa, “Navegue, descubra tesouros, mas não os tire do fundo do mar, o lugar delesé lá”…Beijos (e sim, fez todo o sentido o que você escreveu. Sempre tem)

  2. helil

    Mi casa, su casa.

  3. Anana

    it’s a big world… e somos do tamanho do que sentimos!

  4. Pimenta

    Pataca tá convidado.Vem ver a boutique capitalista da China!Aproveita e vai pra comunista china, que lá sim tu vai ver o cheiro,a vida a cor.Bem que eu não queria voltar, e se eu conseguir não voltar, nem sei ainda, vamos ver aonde vamos parar!eu viajo muito tbém, é só olhar my places no google earth!Se quiser te mando!Ah! e o Vinho mais barato aqui(fora o chinês,que pinta o dente)é francês!Acredito que somos feitos para andar no mundo, pois temos pernas, e quem tem raizes são as árvores!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s