Um textículo confuso!

O dia que foge de mim e a noite que foge do dia. A lua que se opõe ao sol e o sol que não atinge a sombra que vive no breu que habita a solidão. A solidão foge da alegria que evita o medo que nada tem a ver com a coragem. A coragem some de mim que fujo da vida que foge da morte. A morte escapa da luz e vive no escuro que se perde no quarto todas as manhãs. A terra sofre com a água que apaga o fogo que foge do vento.

O vento não foge.

A noite não passa por mim e você não passa do dia. A lua do sol e o sol da sombra. A sombra do breu e o breu da solidão. A solidão da alegria e a alegria, por si só, não vive sem medo. O medo tem medo da coragem e a coragem me habita só de vez em quando. O quando se assusta com o agora e o tempo se afirma com a certeza. A certeza me dá sono. O sono é o cansaço sem dormir e o despertar sem deitar na cama. Minha cama não foge, mas eu vivo fugindo da cama.

Whatever sheep.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Autobiografia, generalidades

2 Respostas para “Um textículo confuso!

  1. Lunna.

    A certeza tem medo do incerto.

  2. Anana

    e a certeza, tem medo de quê?adorei essa confusão toda!beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s